domingo, 25 de setembro de 2011

Cartas ao mar



Estou jogando desejos ao tempo...
Desejos de que o mundo possa sorrir...e eu juntamente possa ser feliz.
Jogando cartas ao mar...deixando uma marca, ainda que ínfima, no tempo...na minha geração.

Cristina Lira



Arrevesamentos



E no auge parece despencar
Como quem sucumbi ao abismo
Emaranhando-se nos arranhões de um querer-se agarrar e nada ter
Arrevesamentos...de uma mente...de um instante...de uma vida
Gritos abafados em lágrimas contidas
Sorrisos desfarçados de uma alma dolorida
Regando os jardins
Fonte de água esquecida
Os pés vão ao encontro de espinhos
Mas a caminhada não é regredida
Ao contrário, enfrenta ainda mais forte
O que se vier a transpassar a vida
Vaso que quebra e derrama o perfume
A quem quizer sentir
Poe-se a varrer o caminho, como sempre fez
Para que passem os da vez
E rasga-se como tecido novo
E dolorosamente se costura, cada remendo uma pontada
Que transpassa do corpo a alma
Mas prossegue entre as primaveras
E igualmente acompanha as rotações e translações
Enche os pulmões com ar suficiente
Para prosseguir com vontade de viver
E detem-se quando olha uma leve borboleta a bater asas 
E entende, eis a vida um mistério...simples...


Cristina Lira



O Eu em Nós



As vezes, para nosso bem, é preciso que nos recolhamos em nós. Um momento de refúgio do mundo, e de encontro conosco. O parar para colher o orvalho que respinga do jardim de Deus, que há em nós. É bom vez ou outra desligar as tomadas na vida, e deixar-se recarregar, reanimar-se... Um momento entre o eu que há em nós e sempre fica para depois...reponha as energias, de nada adianta seguir como se transportasse uma carga de tonelada nos ombros. Fazer a faxina interior, mandar algumas coisas para a lixeira, outras para álbuns de recordação, rever alguns detalhes, reutilizar o que for possível...mas jamais se deixar lotar a ponto de sobrecarregar-se de pesos desnecessários. Leve...leve...assim esteja o nosso interior, para que assim também sejam nossos passos. Ouvir a voz que tine dentro de nós todos os dias, mas por vezes a abafamos e ignoramos por conta das vozes que nos tomam externamente. É preciso aprender a conversar com o nosso "eu"...

Cristina Lira



domingo, 18 de setembro de 2011

Oxalá




Oxalá que os meus dias
Me conservem na face
O sorriso sem medo
De perdurá a felicidade

Oxalá que eu carregue
Nos caminhos a fora
A humildade no coração
Que no meu seio aflora

Oxalá que se esqueçam
As fórmulas de se fazer guerra
Os moldes que usam para as armas
Toda essa inteligencia negra

Oxalá meus olhos possam ver
sempre a paisagem viva
E não mais noticiarios
De tantas vidas banidas

Oxalá aos meus ouvidos
o contemplar os bem-te-vis
A algazarra das andorinhas
A se banhar no chafariz defronte a matriz

Oxalá essa chafurda
De falta de paz se extinga
Oxalá a sentença da vida
Seja sempre vida


Cristina Lira



sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Intervalos milagrosos




Não sei qual seu estado de espírito agora, ou como esteve seu interior durante esses meses que já se passaram. Mas uma coisa é certa a todos nós, tudo que nos acontece vem como forma de nos proporcionar experiência, e nos tornar resistentes diante dos obstáculos da vida. Quem não chorou, ou chora? Quem não sentiu ou padece de alguma dor, nem sempre física?
Mas sabe o que é milagroso?
Podemos sorrir nos intervalos...e melhor ainda ( isso é excepcional) podemos prolongar esses intervalos. E quando menos percebemos, aos poucos, como quem aprecia o aroma do melhor dos perfumes, se estar exercitando a forma intensa de se viver, a felicidade.
E esses intervalos, não correspondem a tempo pequeno, mas são extensos, e para que se prolonguem ainda mais....ah, isso vai depender de como vamos querer viver.
Entre os timbres da felicidade, ou os soluços das tristezas.
Independentemente das nossas escolhas, é preciso absorver com toda capacidade de vida que temos, o seguinte:
SEMPRE, SEMPRE É POSSIVEL SER FELIZ!



Cristina Lira



quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Força interior


Por que se seu corpo esmorece, você ainda tem a força de espirito,a força interior...CONQUISTE! E não DESISTA! (C.Lira)


E com as costas feridas, a respiração quase inexistentes, o coração totalmente fora de ritmo...e o olhar embaçado pela areia que lhe caiu nos olhos...Ergueu-se, apoiando a força do corpo sobre os braços, e falando entre os dentes disse:

EU...CONSIGO!
 

Cristina Lira

sábado, 3 de setembro de 2011

Tente



 
TENTE!
Como é que você sabe que não vai conseguir, se você nem ao menos tenta?

Cristina Lira



Fio da vida



Desenrola-se um fino fio
De seda? Poderia ser...
Mas é de tecido melhor, resistente
Inexistente por aqui
Desenrola-se um fio
De um novelo de ouro?Poderia ser...
Mas é de material melhor
Puro, sem prazo de validade
desenrola-se um fio e vem do céu
Fio este que mantem nossas vidas
Unidas a Deus
Fio eterno esse...

Cristina Lira


Do tempo que resta




Entre o vento frio da noite,
farfalhava as folhas não tão verdes, mas escuras, 
que se mantinham nas copas das árvores. 
O que somos nós? 
O que seremos?
Quanto tempo se tem para admirar o tudo? 
E quanto tempo resta para admirar o nada? 
Parar e apenas sentir, 
o mundo ao nosso redor se movimentar,
ainda que não seja visto, mas apenas sentido.
Embriagar-se de todos os sentidos, de todos os sentimentos.
Envolver-se nas emoções. 
Mas, como quem sabe o segredo...abrir as janelas e aceitar o mundo, 
mas não necessariamente abrigar o mundo dentro de você.

Cristina Lira