quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Entre sorrisos e elogios





QUANTO A ESTE VIDEO, SE VOCÊ AINDA NÃO ASSISTIU, VALE  APENA PARAR E DAR UMA CONFERIDA. O FINAL É IMPRESSIONANTE!!! SORRIA....

Falo daquele sorriso que vem da alma.
De acolher as outras pessoas bem, por que ninguém tem culpa das dores de ninguém.
Receber ou dar um sorriso pode mudar seu dia, e o dia de outras pessoas.
E biologicamente seu organismo vai reagir melhor, mesmo que seja um dia super "puxado"
Sorrisos aquecem, acolhem, afagam...
Muitas lágrimas já lavaram minha face, e sei que muitas outras virão, mas isso não me fará deixar de sorrir, os acontecimentos da vida a deixam muito amarga algumas vezes, e um sorriso faz tudo ganhar um sabor melhor, um doce ao nosso paladar interno.(C.Lira)


SORRIA, ELOGIE, PENSE POSITIVO!





Motivação





Quantos passos você está disposto a dar em direção daquilo que você acredita?(CLira)



domingo, 22 de janeiro de 2012

Ouça!



Apenas ouça a voz de Deus!
Ele nunca silenciou...
Nós, ao longo dos tempos, é que ensurdecemos...

 Cristina Lira

 


Coração!


Coração!
Como você dança livre...
Quantas rosas jogadas no chão
E você não tem teto?
Não coração! Você não tem!

Coração!
Teus sorrisos parecem com a alegria
Descritas nos fins dos contos de fadas
Por que reages assim?
Ah coração! O que causas em mim!

E você grita coração, e você dança, e você canta...
E você samba!
O que você não sabe fazer?
Coração? Você ama?

Ah! Sim! Você ama!
Ah, coração! Como você se encanta...
E estás tão apaixonado
E chega a bater em descompasso

Ah, coração! Como você é delicado.
Mas o que você escreveu aí?
Ah! Já entendi...
É o nome do ser amado!!! Ah, coração, você ama!


Cristina Lira



Da sinceridade em mim



Que poderia eu te dizer

Além do que sinto e vivo com você

Que palavras melhor interpretariam

Os gritos da minha alma e suas melodias suaves

Que poderia eu dizer

de mais verdadeiro

Além de : TE AMO!

Você é o canto, o riso, meu ar refletido...

Sentimento jamais medido!



Cristina Lira



Saudades intensas


Saudade, sentimento forte
Quase inexplicável, e até o seja
Quando bate causa uma estranhesa
Que nos deixa a periferia de tudo
Saudade as vezes parece doença
Outras vezes causa euforia
Outras nos faz dormir
Outras nos aturdia
Saudades de tantas coisas
Alguns da infância
Outros da adolescência
Outros, de amigos
Outros, do ser que se ama
Pra saudade só há um remédio
Viver o momento
Ou estar na presença
Daquele ou daquilo que anseia a alma...

Cristina Lira



Solo interno


Quando chove
Céu e terra se tocam
Quando a tristeza cai sobre nós
Mundo exterior e interior se tocam
A chuva na terra seca
Faz germinar a semente
A chuva na terra alagada
Inunda e destroi
A tristeza quando acontece
Em decorrência dos problemas da vida
Nos proporciona uma certa resistência
Mas a tristeza quando instalada num coração
Que já grita por socorro,
Fere, amordaça e mata aos poucos...






Cristina Lira



Está lá




Nada que se possa comparar ao ar da manhã, ao puro ar celestial que acompanha o raiar do dia. 
Mas este ainda fica bem ínfimo dianto do teu amor.
Teu amor é completo e sincero, humilde e amigo.
Todos os modos que você tem de se comportar diante das mais diversas situações, as vezes parecendo que vai explodir, as vezes completamente indiferente, outras com mega soluções, e até " chutando o pau da barraca", mas sempre humanamente divino.
Todos os teus sorrisos, mas do que expressões, são forças hipnotizantes. Você sabe controlar as situações.
Esforça-se, tenta, e quando cai, levanta... e vai, percorrendo sua estrada, fazendo seu caminho.
E se a tempestade te molha a face, você bem sabe que Deus faz resplandecer o sol, e mesmo que o sol não surja entre as nuvens, e não o veja, você sabe, ele está lá...

Cristina Lira



Acontece





E quando menos se espera...e quando parece não haver saida...
Um milagre acontece!

Cristina Lira



sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Viver?



Não há nada de estranho em se querer viver!
O estranho acontece quando se tece uma vida acoplada na vida dos outros.
Mas viver e aproveitar tudo com humildade no coração, é perfeitamente normal.
Viver cada dia por vez, é sentir as parcelas de um grande milagre, nossa existência!


Cristina lira



Nova rota



E depois da tempestade passar, os ventos fortes pararem de soprar. Eis que a frente ainda um grande abismo, há um pedaço de chão que não dá em nada, e todo o curso de rio que estou mergulhada segue para lá. Num caminho que depois de metros a frente, nada mais tem, apenas uma queda livre, que não termina em lugar algum. Mas antes desse precipício existe uma trajetória, existem duas opções, a aflição de se esperar que a correnteza arraste tudo adiante, ou a esperteza  de traçar um plano,  mudar a rota, e sair da linha de risco.
E numa situação que aparentemente não há saidas. Há sempre uma "carta na manga", algo que se pode fazer para reverter o quadro. Existe sim uma nova rota a se tomar, por mais estranho que o novo caminho possa parecer...

Cristina Lira



Lugar seguro


Pegando todas aquelas garrafas com cartas e pedidos
Que seriam lançadas ao mar
Recolhendo todos aqueles desejos que foram escritos
em pequenos pedaços de papeis para serem jogados ao vento, dados ao tempo.
Retomando tudo importante que estava gravado em muitos lugares
Menos dentro de mim...
As cartas não serão jogadas ao mar
Os papeis não serão dispersos no ar
Nada mais será gravado num lugar qualquer
Descobri que bem melhor que o mar, o ar...
É que, tudo que quero, não vá parar num baú de realizações futuras
Mas que sejam meditados todos os dias dentro do meu eu
Para que assim não caiam no esquecimento
E não os deixe abandonados num canto qualquer
Pois o melhor lugar que meus sonhos e desejos podem estar, é dentro de mim!


Cristina Lira




Horas passadas e horas chegadas


O minuto passado
A hora já ida
Nada pode trazer de volta
Os segundos já gastos

A palavra engolida a seco
A palavra acida falada
Os olhos fechados por medo
O abrir os olhos depois de um grande evento

Apenas o desejo de que se volte
Não volta o que passou
Mas o desejo de grandes coisas
Muda o minuto que está para chegar

As mudanças não giram em torno
Do que se passou há poucos minutos
Mas em prol da vontade de se fazer diferente
Nos minutos que estão a frente...


Cristina Lira

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Aquecer com o coração,a parte fria da vida





Era uma noite de inverno.
O vento passava pelas frestas das portas e invadia qualquer espaço onde o calor se concentrasse. As ruas estavam silenciosas, ouvia-se apenas o farfalhar de alguma folhas. As luzes das casas aos poucos se apagavam, sinalizando que era hora do descanso para repor forças para o dia seguinte. Madrugada extremamente fria, fazia com que cada um se agarrasse ao maximo a sua coberta. Outros de encolhiam em suas camas. Outros se enrolavam sobre si, formando logo uma pequena pessoa. 
Em meio aquele ar frio, alguem apertava entre os seios, totalmente enrolado, um belo menino, de poucos anos de vida. 
Maozinhas avermelhadas, olhos que hora se abriam, hora permaneciam fechados. Corpinho aquecido pela manta branca que lhe envolvia o pequeno corpinho. Aquela que lhe carregava, trajava um vestido de tecido leve como a brisa, cabelos curtos e umedecidos pelo clima, e uma tosse insistente quebrava o silencio por onde passavam. E enquanto caminhava entre as ruas, notou que uma pequena casa ainda permanecia com uma pequena luz acesa. E que uma senhora, no balanço de sua cadeira, fazia uma leitura. Uma mão sustentava o livro e a outra, por vezes levava a boca uma pequena xicara com um liquido esfumaçante. 
A mulher olhou para seu pequeno filho. Contemplou seu rosto todo sorridente. Tão leigo aquela situação! abraçou-o! Ele neste momento, apertou o dedo polegar da mãe, com sua pequena força. A mulher inspirou, e logo em seguida, por conta do esforço que fez na inspiração, teve um acesso de tosse. Logo que passou, resolveu então, ir aquela casa tão convidativa. Não poderia deixar que seu bebe ficasse doente.
Timidamente foi até a porta da casa daquela senhora, e de leve, deu algumas batidas na porta.
A senhora calmamente e com ar interrogativo, largou o livro e a xicara sobre a mesa. Olhou pela janela lateral e viu que bem na frente de sua casa estava uma mulher com um bebe nos braços. Procurou não se questionar tanto e foi abrir a porta.
A mãe, depois de pedir desculpas pelo incomodo, pediu com bastante humildade que ela ficasse com seu bebe, pois a noite estava fria, e a manta não seria suficiente para aquece-lo durante todas as outras noites. A senhora, limitou-se a não perguntar nada naquele instante, e foi logo dizendo que não poderia ficar com a criança. Mas a convidou para entrar e agasalhou aquela mãe que precisava de cuidados e lhe serviu um pouco de sopa que sobrara do seu jantar.
Enquanto isso sustentava o pequeno garotinho e elogiava sua esperteza e os olhos curiosos que não paravam de analizar tudo naquela casa, em especial no rosto daquela senhora.
Após isso a senhora lhe ofereceu dormida, e lhe falou de coração sincero. Jamais abandone seu filho, pois este é a prova de que pelo amor nascemos, ou pelo menos para amar nascemos. Não entregue o que de mais precioso você tem. Peça ajuda, bata porta a porta, mas não saia entregando os pontos nas situações dificeis. Sei que não é facil seguir nos caminhos espinhosos, principalmente quando se tem a responsabilidade sobre uma vida. Mas haja o que houver, jamais abra mão de lutar, seja por sua vida ou pela vida daqueles que você ama.
A mãe em seu intimo, se arrependeu da atitude de querer dar seu filho, mesmo que o amasse muito. Mas a verdade é que ela não via meios pelos quais poderia seguir. E olhando para a senhora que a acolhera, agradeceu sua hospitalidade e sinceridade. Prometendo que jamais abandonaria seu bebe, seja pelo que fosse. Prometeu ainda que de manha cedinho não incomodaria, e logo que o sol nascesse iria embora. Mas sempre seria eternamente grata pela atitude tão generosa da senhora.
A mãe se acomodou numa das tres camas existentes no quarto, e a senhora voltou a ler seu livro calmamente. O dia acordou com leves raios de sol, ainda que fosse uma manha fria.
Ao se aprontar para sair, a senhora gentilmente a chamou para tomarem café da manha e conversarem um pouco. Contou-lhe que era costureira e que há dias vinha pensando na possibilidade de contratar alguem para ajudar no serviço. E deu aquela jovem mãe a proposta de um trabalho, pagaria pelos serviços, mas não precisaria se preocupar com casa e comida, poderiam morar juntos e assim a senhora não se sentiria tão sozinha, e além do mais, poderia ajudar na educação daquele pequeno tesouro, o bebe lhe conquistara o coração com os tantos sorrisos e olhares curiosos. Verdade que naquela madrugada fria, a vontade de fazer o melhor pelo proximo, fez com que nascesse uma forte amizade entre aquelas vidas. Anos depois, o pequeno bebe se tornou um homem de principios e coração sincero, e a história de como a senhora, a quem chamava de madrinha, acolheu sua mãe e deles cuidou, lhe despertou no coração o ardor de assim também agir com o próximo. Bem sucedido financeiramente, optou por construir uma grande pousada, onde aqueles que ali passassem, principalmente na epoca de inverno, poderiam dormir, se agasalhar e aquecer o corpo com alimento. Nessa grande pousada  havia tambem uma sala grande e vazia cheia de janelas, um espaço onde aqueles que também quisessem aquecer a alma poderiam ir, um lugar reservado a oração. E aquela grande pousada abrigou a muitos, socorreu a outros... Mas o importante não é o que as aparencias mostravam, mas o amor que movia as pessoas, mesmo aquelas que não se conheciam, e tudo pelo prazer de ajudar, de servir, e contribuir para que ninguem desistisse da vida de ninguem. Um elo se formava,e logo todos percebiam que eram responsaveis por suas proprias vidas, mas que também podiam contribuir com o melhor de si para a vida do proximo. Não importa que seja algo grande ou pequeno, sempre podemos fazer algo por alguem, desde acolher ou apenas incentivar a seguir e continuar lutando. Nós sempre podemos realizar aquilo a que nos propormos de coração.


Cristina Lira



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Do fazer acontecer


Vamos lá nos mudar de lugar
Sair dessa posição que nos deixa a mercê
A merce do toque que tocam e dança que dançam
E não no nosso ritmo, e não no nosso passo
É hora de fazer acontecer os planos que existem pra você
Ninguém vai te ensinar a voar
Você já sabe o que precisa saber, sabe caminhar
Não importa o que você tem a sua disposição para realizar seus sonhos
Deus está a sua disposição, nada além disso é necessário
Apenas fique livre para sorrir todos os seus sorrisos, os melhores
Lembre-se de você, um pouco, ou várias vezes
Mas jamais deixe de amar a ninguém
Mas entenda que para tudo a sua volta ganhar sentido
Você precisa encontrar sentido em você
Nós precisamos nos encontrar em verdade, para poder amar na sinceridade do amor.
Se for preciso fazer reformas, ótimo isso, nada melhor que uma boa faxina para tomar por nova velhas coisas.
E vamos lá, mudar de lugar...trocar ideias vazias, por sentimentos verdadeiros
Trocar a cara de questionadores, pela de sábios observadores
Vamos lá entender onde começa o limite dos outros e onde o nosso termina.
Vamos lá, fazer acontecer, tudo aquilo que depende de nós.
E um item importante é nunca esquecer, jamais estaremos sozinhos...

Cristina Lira







quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Caixa de música


Fosse fácil apenas seguir um ritmo, não se importar para que lado ir, e que posição seguir. Se fosse fácil apenas seguir o som da música sem se importar com os passos, e não tomar decisões, pois elas já estariam tomadas. Apenas seguindo o ritmo, que acontece...
Mas não é assim...
Nada funciona como uma caixinha de música. 
Seria tão fácil a expressão eterna de felicidade, igual aquelas bailarinas que enfeitam os móveis, igual as bailarinas de caixa de música, igual aos carroceis....
E cada passo que damos nos leva a um passo seguinte, que na maioria das vezes não dá para se fazer previsões. Na realidade, alguns até são como que bailarinas e bailarinos, como peças de gesso ou outro material qualquer, que dançam conforme a música que outros tocam. E permanecem sesseis.
Ahh...tão estranhas as caixas de musicas que acontecem no dia a dia de muitos, girando e girando e não se sai do lugar, e de tanto andar em circulos um momento se cansa e se para, simplesmente se para...
Passos largos, seguros e rumo ao que se quer.
Que a musica tocada seja dançada pelo proprio tocador
Que um giro dado, um contorno refeito, não seja motivo para se desistir de algo que muito se quer.
Que as dificuldades não nos leve a perder nossa fé.



Cristina Lira




Relógio parado




As ruas um pouco desertas, quase não se vê nada em movimento.
O vento passa barulhento pelo silencio dos homens
E arrasta as folhas no chão, e elas dançam no seu compasso
Olhar perdido num vazio
De fora e dentro de mim
Olhar num céu brilhante, em meio as penumbras
E tudo em volta tão congelado
Como se o tempo estivesse parado
Apenas o ar circulando da a sensação de realidade
Os pensamentos vão a solta
Tão desordenados e descontrolados
Ganham a situação, voam no momento
Tudo parece tão deserto de repente
O agasalho não aquece tanto
Parada apenas, entregue a leves movimentos da natureza
Viajante sem tomar nenhuma condução
Perdida sem ao menos sair do lugar
Braços que encontram a si mesmos
E do silencio apenas brota silencio
Leve sensação de relógio parado...


Cristina Lira




domingo, 8 de janeiro de 2012

Pequenas atitudes mudam o dia

 

Interessante como poucas coisas tem uma influencia grande na nossa vida e a capacidade de nos desestabilizar. Fácil demais as lágrimas rolarem, fácil demais as palavras ditas de forma desconsideradas se alojarem em nossos corações. O difícil é tentar não absorver tudo isso, é tentar não poluir o lençol branco que reveste nosso ser e encobre nossas curvas. Mas, ainda que tudo isso tenha um grande impacto nas nossas vidas, bem maior é capacidade que temos de sorrir, mesmo que seja um sorriso entre lágrimas, aqueles do tipo, onde se rir e se chora ao mesmo tempo, e as mãos vão aos olhos. É esse um exemplo simples de como somos fortes, por que não é fácil arquear na face um sorriso quando se estar aos prantos. Da mesma forma em tudo na nossa vida. É preciso ter a atitude de sorrir para si mesmo, ainda que diante do espelho possamos notar o caminho que as lágrimas esculpem na nossa face. É preciso respirar fundo, sorrir de forma cúmplice a si mesmo, e prosseguir, não como se nada tivesse acontecido, mas como quem entende o que acontece e sabe que pequenas atitudes mudam um dia, uma vida...




Eu posso mudar o meu dia. Nós podemos fazer as mudanças acontecerem, para isso, haja energia e disposição, e um adeus ao comodismo. Hora de ir para o palco da vida, sair dos bastidores, assumir a liderança da própria existência.
Cristina Lira






terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Adoro amar você




...Quando não tô legal
Se estou mal eu te chamo
Quando me sinto em paz
Eu te amo, te amo
Tô afim de ficar com você
Mais uns 200 anos...



Venha cá me ninar
Vem dizer que me ama
Na vida, na morte
Na dor e na cama
O meu corpo precisa do seu
E a minha alma te chama...



Ah! Eu adoro amar você
Como eu te quero
Eu jamais quis
Você me faz sonhar
Me faz realizar
Me faz crescer
Me faz feliz
O amor que existe
Entre nós dois
É tudo que eu sonhei
Prá mim
É mais do que paixão
É mais do que prazer
Amor que não tem fim! ...
( Cantor Daniel)



Te amo!!!